quinta-feira, 20 de julho de 2017

20 DE JULHO: Dia do Amigo!

Para "amigo" não busco mais nenhuma definição, porque carrego a sua amizade bem guardada no coração. Feliz Dia do Amigo!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

13 formas de se apaixonar por você mesma e ser correspondida

Muita gente sabe que melhorar a autoestima é importante. Quando ela está baixa, junto vem aquele comportamento de insegurança e medo. Com isso, a pessoa pode se sentir incapaz e desacreditar em si mesma. A baixa-autoestima afeta tanto a nossa saúde mental quanto a física. Conheço muitas pessoas incríveis que não se amam, não se dão o valor que merecem. Todos estamos sujeitos a nos sentir pra baixo e nos amar menos, pois saiba que o amor cura, e não estou falando do amor pelo outro, e sim por nós mesmas. Sinta-se, seja feliz na sua companhia, faça esses 13 passos e com certeza vai se ver com outros olhos:

1. Olhar fotos de você pequenininha

Lembrar do quanto você era fofa e inocente vai te encher de carinho por você mesma. Aproveite essa sensação e não esqueça que hoje também você merece todo amor e cuidado.

2. Fazer uma lista de suas qualidades que não têm a ver com a aparência nem com a aprovação alheia

Por exemplo, “sou uma companhia agradável”, “sou divertida”, “sou compreensiva”, “sou organizada”, “sou muito querida pelas pessoas”, “não tenho medo de mudanças”.

3. Se dar um presente

Não precisa ser caro, mas pense nele como um presente mesmo, para alguém que você adora(você!). Pode ser um livro, flores, ou uma experiência, como ir comer em algum lugar especial que sempre quis conhecer.

4. Assistir aquela série que você (e mais ninguém que você conhece) adora

Sempre tem aquela série incompreendida por seus amigos, mas que você amou. Azar de todo mundo, você pode enaltecer seus próprios gostos preparando uma sessão especial só para você, com direito a petiscos.

5. Cortar contatos (e contatinhos) que só atrasam a sua vida

Para caber o novo é preciso abandonar aquilo que só ocupa espaço sem somar. É como quando você limpa seu armário, só que vale também para relacionamentos e contatos. 

6. Fazer algo que você sabe fazer muito bem e apreciar seu próprio talento

Não vale dizer “papel de trouxa”! Vamos lá, você com certeza manda benzaço em alguma coisa, seja tirar fotos, jogar futebol ou fazer uma caipirinha show.

7. Usar por uma semana só suas roupas preferidas

Comece dando uma revirada no armário e separando todas as peças que você realmente AMA e que ficam maravilhosas em você. Experimente usar só elas, mesmo sem nenhuma ocasião especial, para se sentir o máximo todo dia.

8. Escrever para si mesma a nota mental: “não vou mais aceitar migalhas de atenção”

Troque o tempo e a energia que você gastou pedindo a atenção de outra pessoa por tempo cuidando de você mesma. É fácil fazer essa troca? Claro que não, mas compensa.

9. Fazer uma sessão caseira de aromaterapia

Separe TODOS os produtos cheirosinhos que você tiver e escolha vários para usar de uma vez só, do incenso ao creme.

10. Se alongar durante uma hora

Se corpo vai te agradecer tanto que vai ser impossível você não se amar um pouquinho mais. Para garantir que vá fazer os movimentos certinhos sem se machucar, faça acompanhando um vídeo de exercícios.

11. Testar tutoriais de beleza da internet

Sem se comparar com as blogueiras, nem ter o compromisso de fazer os looks certinhos. Só para se curtir e falar “tão bonito o rosto” (o seu mesmo, sim senhora!) na frente do espelho.

12. Cuidar de algo ou alguém, pode ser até uma planta

Perceber que você pode fazer algo crescer e florescer pode te ajudar a perceber seu próprio valor.

13. Entender que reconhecer o próprio valor não tem nada a ver com egocentrismo

Aliás é o oposto, porque o ego precisa ser alimentado com elogios e quando você sabe seu próprio valor, nem precisa deles.
Fonte: Por Portal Raízes

Reforma da previdência prejudica mulheres e professores

A Reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB), por hora travada devido às denúncias de corrupção contra o presidente da República, pretende gerar graves retrocessos a alguns dos direitos conquistados pelos trabalhadores. Entre os segmentos mais prejudicados estão as mulheres e os professores. 
O projeto de lei, o mais radical desde a promulgação da Constituição Federal de 1988, pretendia exigir a idade mínima de 65 anos e um mínimo de 25 anos de contribuição de todos os trabalhadores, sem distinção para mulheres, servidores públicos, trabalhadores rurais ou professores da educação fundamental. Após as manifestações de insatisfação dos movimentos sociais e um período de negociações entre os deputados, o projeto de lei foi alterado da seguinte forma: as mulheres terão uma idade mínima de aposentadoria de 62 anos e os homens de 65 anos. Já para os professores de ensino básico e médio a idade mínima para aposentadoria ficou em 60 anos, com tempo mínimo de contribuição de 25 anos, sem distinção entre os gêneros.


Diante dos dados, as mulheres são as mais prejudicadas. O projeto não leva em conta a jornada dupla de trabalho feminino, realidade da maioria das trabalhadoras brasileiras que, após um dia longo de serviço (muitas vezes, no caso das terceirizadas, em condições insalubres), ainda precisam se encarregar das tarefas domésticas e do cuidado com os filhos. Soma-se ainda o fato de que a maioria delas apresenta uma renda baixa, impossibilitando momentos de lazer e acesso a melhores condições de saúde. A diferença de 3 anos comparado aos homens é mera fachada, colocada pelo governo como uma manobra para tentar aprovar a reforma. 


Os professores já são desvalorizados dentro do cenário econômico brasileiro. A categoria recebe baixa remuneração e tem longas jornadas de trabalho. Esperar chegar aos 60 anos para ter direito a se aposentar confere mais uma dificuldade para seguir na profissão e ter condições dignas de vida para as pessoas que são imprescindíveis na melhoria da educação no país. Lembrando que a igualação dos gêneros prejudica ainda mais as professoras, inseridas na mesma realidade do resto das trabalhadoras brasileiras. 

Espera-se que a apuração das investigações referentes aos crimes cometidos por Temer e pelos deputados dos partidos da base aliada sejam decisivas para barrar a reforma e todos os retrocessos que com ela viriam. 


Por Alessandra Monterastelli, especial para o Portal Vermelho

domingo, 18 de junho de 2017

Veja a programação da "Caravana das Águas"

Senadores da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) visitam nesta semana as obras da transposição das águas do Rio São Francisco em quatro estados: Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. É a Caravana das Águas, cuja programação prevê inspeções técnicas às obras e audiências públicas na segunda (19) e na terça (20).

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Centrais sindicais confirmam nova “greve geral” em todo país

Lideranças sindicais alinharam uma nova greve e manifestações esporádicas contra as reformas Trabalhista e Previdenciária em vários estados.
Lideranças das centrais sindicais brasileiras se reuniram na manhã desta segunda-feira 05, na sede regional da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), na cidade de São Paulo, onde confirmaram uma nova Greve Geral que ocorrerá em todos os estados brasileiros no dia 30 de junho, última sexta-feira do mês.
As entidades sindicais também conclamaram a população para um dia de mobilização nacional, chamado “Esquenta Greve Geral”, com data marcada para acontecer dia 20 de junho. Segundo os sindicalistas, as centrais “irão colocar força total na mobilização da greve em defesa dos direitos sociais e trabalhistas, contra as reformas trabalhista e previdenciária e pelo #ForaTemer”.
“A ideia é manter o foco contra as reformas defendidas pelo governo, para continuar alertando trabalhadores e trabalhadoras sobre os riscos que corremos de perda de direitos trabalhistas, culminando numa nova greve geral ao fim do mês de junho”, afirma José Calixto Ramos, presidente da NCST.
O dirigente também disse as manifestações se darão de forma constante, para manter a população informada das propostas prejudiciais aos trabalhadores e trabalhadoras que tramitam no Congresso, além da criação de uma comissão para falar individualmente com cada senador. “Vamos falar com cada parlamentar individualmente, mostrando o quão prejudicial essas propostas são para a qualidade de vida de quem trabalha”, concluiu.
Participaram da reunião a Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Força Sindical (Força), Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Central Sindical e Popular (CONLUTAS) e Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Intersindical – Central da Classe Trabalhadora e A Pública – Central do Servidor.
Fonte: AGORA RN

terça-feira, 30 de maio de 2017

Caicó terá a Primeira Caminhada de Combate ao Tabagismo

A secretaria municipal de Saúde e o Programa de Residência Multiprofissional em Atenção Básica da EMCM/UFRN estarão realizando na quarta-feira (31), às 7h30, a 1ª Caminhada de Combate ao Tabagismo pelo Centro de Caicó.  A concentração será na Praça Doutor José Augusto (Praça da Alimentação). Atualmente, o SUS dispõe de tratamento gratuito para pessoas que desejam parar de fumar. Basta procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS).
Desde 1987, a Organização Mundial de Saúde (OMS) determina o dia 31 de maio como Dia Mundial Sem Tabaco, matéria prima do cigarro.  O número de fumantes vem diminuindo no Brasil, entretanto o país é o segundo maior produtor de tabaco e o maior exportador. Estima-se que 1 bilhão de pessoas fumam em todo o mundo, fazendo a OMS considerar o tabagismo como uma doença de epidemia mundial.
Fonte: Blog da Gláucia Lima

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Detran divulga cronograma de exames de direção veicular do mês de junho


O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) divulgou na manhã desta quarta-feira (24) o cronograma de exames práticos de direção veicular que serão aplicados nos municípios do interior do Rio Grande do Norte durante o mês de junho. Os examinadores iniciam o trabalho na quinta-feira (1º), pela cidade de Ceará-Mirim e no decorrer do mês outros 21 municípios polos distribuídos em todas as regiões do Estado terão candidatos a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) avaliados pelo Departamento.

Somente no interior, a previsão é de que cerca de três mil candidatos passem pela avaliação no mês junho. O processo de exames realizado pelo Detran é contínuo e após um planejamento estratégico realizado pelos setor competente do Órgão, vem evitando a demanda reprimida e possibilitando que os testes sejam realizados periodicamente sem espera por parte dos usuários, como é o caso das avaliações realizadas na sede do Detran em Natal onde o usuário, muitas vezes, consegue agendar e realizar o teste prático no mesmo dia.

Os peritos analisam o conhecimento prático de volante dos alunos que já foram considerados aptos nos exames médico e psicológico, e que também já concluíram a carga horária de aulas prática e teórica ministradas pelo centro de formação de condutor de sua escolha.

Para que o candidato seja aprovado no teste é necessário que ele não cometa nenhuma falta eliminatória e que a soma dos pontos negativos seja menor do que três. No caso de reprovação o candidato só poderá repetir o exame decorrido 15 dias da divulgação do resultado.

De acordo com informações coletadas pelo setor de Estatística do Detran, durante os primeiros quatro meses deste ano foram realizados 18.959 testes práticos de direção veicular no Estado.

Cronograma de Exame Prático de Direção Veicular - Junho 2017
01/06 – Ceará-Mirim;
02/06 – São Paulo do Potengi;
05/06 – Nova Cruz;
06/06 – Monte Alegre;
07/06 – São José do Mipibu;
08/06 – Goianinha;
09/06 – Passa e Fica;
12/06 – Parelhas;
13/06 – Jardim do Seridó;
14/06 – Acari;
16/06 – Caicó;
19/06 – Caraúbas;
20/06 – Apodi;
21/06 – Pau dos Ferros;
22/06 – Alexandria –
23/06 – Patu;
26/06 – Jaçanã;
27/06 – Santa Cruz;
28/06 – Currais Novos e Lagoa Nova;
29/06 – Jucurutu;
30/06 – Angicos.

Fonte: Blog do Tonny Washington

Em protesto contra governo, #OcupaBrasília reúne mais de 150 mil pessoas

Pedindo a deposição de Temer e eleições diretas, marcha unificada aglutina militantes de todo o país.
Mais de 150 mil pessoas se concentram no começo da tarde desta quarta (24) no entorno do estádio Mané Garrincha, na capital federal, na preparação para o início do movimento #OcupaBrasília. Os dados são da Polícia Militar.
Com cerca de mil ônibus vindos de diversas partes do país, os manifestantes se unem numa marcha unificada pela deposição de Michel Temer (PMDB) e pela realização de eleições diretas para presidente.
Clique aqui e acompanhe minuto a minuto da mobilização
A ação é organizada pelas centrais sindicais e pelas Frentes Brasil Popular (FBP) e Povo sem Medo. No começo da tarde, os manifestantes iniciaram uma marcha pela Esplanada dos Ministérios rumo ao Congresso Nacional.
“Hoje é um dia decisivo para a classe trabalhadora. Nossos direitos estão ameaçados pelos golpistas e não há o menor respeito à nossa dignidade. Estamos sendo assaltados”, disse Roberto Sousa e Silva, professor da rede pública do Rio Grande do Norte, que veio em caravana para participar do protesto.
A luta popular tem sido impulsionada pelo agravamento da crise que circunda a figura de Michel Temer (PMDB), envolvido em escândalos de corrupção relacionados à empresa JBS, uma das investigadas na operação Lava Jato, da Polícia Federal. Com as denúncias trazidas na semana passada pelos irmãos Batista, proprietários do grupo, os segmentos populares acreditam na derrocada do governo e promovem o “Ocupa Brasília” na expectativa de barrar a tramitação das reformas.
“O governo Temer já acabou, tanto que a própria imprensa golpista jogou ele na lata do lixo, mas agora está tentando dar o golpe dentro do golpe, o que é mais perigoso ainda, porque tende a aprofundar a retirada de direitos da classe trabalhadora. (..) Ele não tem moral nenhum pra aprovar qualquer lei”, considera Alexandre Conceição, dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), uma das entidades que integram a FBP.
Diretas Já
No roteiro da crise política, o “Fora, Temer” não é a única bandeira dos oposicionistas, que se mobilizam para evitar a todo custo uma eventual eleição indireta sequencial à vacância do cargo de presidente, o que poderia ocorrer através de renúncia ou deposição. Com isso, o “Ocupa Brasília” reforça o coro pelas “Diretas já”. Para os movimentos, a saída para a crise política passa essencialmente pela escolha popular.
“Eleições indiretas agora não resolvem o problema da crise, da população, das reformas que esse governo está querendo levar adiante. Esse Congresso que faria a eleição é o mais reacionário da história do Brasil, porque está atrelado aos interesses dos grandes grupos econômicos. Por isso, queremos diretas já”, diz o militante do Levante Popular da Juventude, Caio Picareli, que veio de Porto Alegre para participar do ato.
Além de ter Brasília como ponto central da manifestação, os movimentos realizam atos também em outras partes do país nesta quarta-feira (24), na tentativa de dar mais capilaridade ao movimento pela deposição de Temer e por eleições diretas.
Fonte: Brasil de Fato

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Em um ano, Temer passa de "sei lidar com bandido" para "ingênuo"

"Tenho ouvido: 'Temer está muito frágil, coitadinho, não sabe governar'. Conversa! Fui secretário de Segurança duas vezes em São Paulo e tratava com bandidos", disse ele batendo com uma das mãos sobre a mesa. "Então eu sei o que fazer no governo", completou.

Agora, há exato um ano, diante das revelações trazidas pela conversa gravada pelo empresário Joesley Batistas, da JBS, Temer disse que foi "ingênuo" por ter conversado em Joesley. 

"Ingenuidade. Fui ingênuo ao receber uma pessoa naquele momento", disse ele, em entrevista publicada nesta segunda-feira (22), na Folha de S. Paulo. Ele disse não sabia que Joesley Batista era investigado, sendo que o noticiário deu amplo destaque ao fato, sendo o empresário alvo de busca e apreensão dias antes.

Temer disse ainda que recebeu o empresário no subsolo do Palácio do Jaburu, no fim da noite do dia 7 de março, porque imaginava que ele viesse falar sobre a Operação Carne Fraca – e não sobre as ações penais em que é réu.

"Mas veja bem. Ele é um grande empresário. Quanto tentou muitas vezes falar comigo, achei que fosse por questão da Carne Fraca. Eu disse: “Venha quando for possível, eu atendo todo mundo”, declarou Temer. No entanto, a operação só aconteceu dez dias depois do encontro, no dia 17 de março. Ou seja, ou Temer passou informações para o dono da JBF ou mentiu.

Daqui não saio

Isolado, Temer disse que não renuncia. "Eu não vou renunciar. Se quiserem, me derrubem, porque, se eu renuncio, é uma declaração de culpa", disse. Neste domingo (21), Temer tinha um jantar marcado com diversos aliados da base, mas teve que desmarcar porque ninguém compareceu.

Na entrevista à Folha, Temer tentou demonstrar segurança. Se disse perseguido, mas acha que tem conseguido dar explicação para o que chama de "gravação espetaculosa". "Tenho demonstrado com relativo sucesso que o que o empresário fez foi induzir uma conversa. Insistem sempre no ponto que avalizei um pagamento para o ex-deputado Eduardo Cunha, quando não querem tomar como resposta o que dei a uma frase dele em que ele dizia: "Olhe, tenho mantido boa relação com o Cunha", justificou ele, sobre a frase dita ao empresário "Mantenha isso".

Em outra escorregada, Temer admitiu que Cunha tentou acusá-lo com as perguntas que fez a ele no processo em que foi chamado como  testemunha. "[...] o Eduardo Cunha lançou uma carta em que diz que jamais pediu [dinheiro] a ele [Joesley] e muito menos a mim. E até o contrário. Na verdade, ele me contestou algumas vezes. Como eu poderia comprar o silêncio, se naquele processo que ele sofre em Curitiba, fez 42 perguntas, 21 tentando me incriminar?", afirmou.

Ao ser questionado sobre a afirmação de Joesley, que fala em "zerar, liquidar pendências", Temer disse que não era dinheiro. "Não sei. Não dei a menor atenção a isso. Aliás, ele falou que tinha [comprado] dois juízes e um procurador. Conheço o Joesley de antes desse episódio. Sei que ele é um falastrão, uma pessoa que se jacta de eventuais influências. E logo depois ele diz que estava mentindo", afirmou. A pessoa de "eventuais influências" estava conversando com o presidente da República, recebido em uma reunião sem agenda.

Folha perguntou se não era prevaricação ouvir um empresário dentro do Palácio do Jaburu relatar crimes, e Temer relativizou. "Você sabe que não? Eu ouço muita gente, e muita gente me diz as maiores bobagens que eu não levo em conta. Confesso que não levei essa bobagem em conta. O objetivo central da conversa não era esse. Ele foi levando a conversa para um ponto, as minhas respostas eram monossilábicas".

Sobre o deputado Rocha Loures, que já foi seu assessor, Temer saiu em defesa. Loures foi filmado correndo com uma mala com dinheiro pago pelo JBS. Temer diz que foi tudo montado e ficou irritado.

"O que ele [Joesley] fez? A primeira coisa, o orientaram ou ele tomou a deliberação: 'Grave alguém graúdo'... Não vou dizer isso, porque ele é um homem, coitado, ele é de boa índole, de muito boa índole. Eu o conheci como deputado, depois foi para o meu gabinete na Vice-Presidência, depois me acompanhou na Presidência, mas um homem de muito boa índole", disse.

Quando indagado sobre se considera que as ações da procuradoria poderiam ser uma "armação" da Procuradoria-Geral, Temer novamente demonstra irritação e admitiu que sentiu o baque.

"Eu percebo que você é muito calma [risos]. Espero que você jamais sofra as imputações morais que eu sofri. Eu estava apenas retrucando as imprecações de natureza moral gravíssimas, nada mais do que isso. Agora, mantenho a serenidade, especialmente na medida em que eu disse: eu não vou renunciar. Se quiserem, me derrubem, porque, se eu renuncio, é uma declaração de culpa", declarou.  

Do Portal Vermelho, com informações de agências

sexta-feira, 19 de maio de 2017

REFLEXÃO!


Eleições diretas: Centrais unificadas participam de atos neste domingo

As principais centrais sindicais brasileiras decidiram  nesta sexta-feira (19) orientar suas bases a participar, unitariamente, dos atos convocados para o domingo (21) em todo o Brasil. Os protestos são convocados pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e pedem a renúncia do presidente golpista Michel Temer, a retirada das reformas trabalhista e Previdenciária da pauta do Congresso e eleições diretas Já.

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, havia declarado que a entidade estaria presente nas manifestações deste domingo. Segundo ele, a Força não quer ficar fora do debate político. 


A União Geral dos Trabalhadores (UGT) divulgou nesta quinta-feira (18) reivindicando eleições diretas já. Em maior ou menor grau de aceitação em relação à palavra de ordem o fato é que as centrais concordam que o governo Temer não tem legitimidade para levar adiante reformas como as da Previdência e Trabalhista, que jogam a conta da crise nas costas do trabalhador.


Na opinião do presidente da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, fica comprovado que não serão os trabalhadores os beneficiados pelas reformas.


A nota das centrais afirma que "Qualquer solução democrática para a crise política e econômica nesta conjuntura passa pela construção de um amplo e democrático acordo nacional visando à defesa de nossa democracia e à construção de um novo projeto de desenvolvimento nacional”.

Participaram do encontro desta sexta-feira Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Força Sindical, Central de Sindicatos Brasileiros (CSB), Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Central Única dos Trabalhadores (CUT).


Do Portal Vermelho

terça-feira, 16 de maio de 2017

16 de Maio: Dia do Gari!

Dia do Gari é comemorado anualmente em 16 de maio, em todo o Brasil. Esta data tem o objetivo de homenagear os profissionais responsáveis em manter as ruas, praças e praias limpas de todo o lixo gerado naturalmente ou por ação do ser humano.
No Brasil os garis não recebem o devido respeito e visibilidade que merecem, pois é graças ao seu trabalho que os cidadãos podem viver em uma cidade mais limpa e bonita. É muito importante cada indivíduo fazer a sua parte e não jogar lixo nas ruas.
O termo "gari" surgiu em homenagem ao francês Pedro Aleixo Gary, que ficou conhecido por ser o fundador da primeira empresa de coleta de lixo nas ruas do Rio de Janeiro. Assim, os cariocas quando queriam que as ruas fossem limpas após a passagem dos cavalos, chamavam os "garis".

Mensagem para o Dia do Gari

"Você que cuida da cidade para que fique mais limpa e bonita, merece a nossa homenagem e respeito. Parabéns aos profissionais que com sol ou chuva, cuidam para que nossa cidade fique ainda mais limpa! Feliz Dia do Gari!"

12 perguntas e respostas sobre a nova Lei de Migração

A nova Lei de Migração, aprovada recentemente pelo Congresso e que aguarda sanção presidencial, coloca a legislação migratória brasileira em acordo com a Constituição de 1988 – diferente do Estatuto do Estrangeiro, herdado da ditadura militar e em grande parte inconstitucional e incapaz de atender à realidade social e política brasileira atual.

No entanto, uma série de informações infundadas sobre a nova Lei de Migração e sobre migrantes no Brasil tem circulados em meios impressos ou na internet. Alguns mitos e verdades já foram divulgados e rebatidos anteriormente, mas nunca é demais atualizar a lista – outros pontos podem ainda ser acrescentados, caso necessário.

Os dados citados abaixo são públicos e podem ser acessados ou solicitados por qualquer cidadão, seja através de pesquisa na internet e meios físicos, seja por meio da Lei de Acesso à Informação.

1. O que é a Lei de Migração?

A nova Lei de Migração estabelece direitos e deveres para migrantes e turistas no Brasil. Ela reconhece o migrante, independentemente de sua nacionalidade, como um sujeito de direitos, e promove o combate à xenofobia e a não-discriminação como princípios da política migratória brasileira. Ela também moderniza o sistema de recepção e registro dos migrantes, além de incluir artigos específicos para casos de apatridia (quando a pessoa não possui nacionalidade).

Ela também reconhece a contribuição histórica e contemporânea dos migrantes para o desenvolvimento econômico e cultural do Brasil, tanto no passado como no presente. E com esse reconhecimento, dá condições para que tal contribuição tenha continuidade no futuro.

Outro ponto importante é que a nova lei também se estende aos brasileiros no exterior (por isso o nome “Lei de Migração”, e não Lei de Imigração, como tem sido veiculado erroneamente em determinadas redes).

A nova Lei de Migração é elogiada por organismos internacionais e, em conjunto com a Lei de Refúgio de 1997 e a lei sobre tráfico de pessoas de 2016, coloca o Brasil em uma posição de vanguarda, tanto na proteção dos direitos do migrante, quanto no combate a organizações criminosas que se aproveitam da migração para a prática de atos ilícitos.

2. A lei é fruto de grupos de esquerda, que possuem interesses políticos e eleitorais?

Negativo. O projeto foi aprovado tanto no Senado como na Câmara com amplo consenso e debate entre partidos de diferentes tendências políticas. Também foi alvo de diversas audiências públicas junto à sociedade civil e no Legislativo, além de ter recebido contribuições de diversos organismos públicos, do terceiro setor e de entidades sociais.

Vale lembrar que as mobilizações para mudança dessa legislação remontam ao começo da década de 1990 – ou seja, é uma reivindicação antiga tanto dos migrantes como de movimentos sociais.

3. Em que a lei afeta os brasileiros?

Ao desburocratizar e facilitar a inclusão dos migrantes na sociedade brasileira, além de repudiar a discriminação e a xenofobia, a nova lei ajuda a combater a segregação social a qual muitos migrantes estão sujeitos. Uma vez integradas à sociedade, essas pessoas possuem melhores condições para contribuir com o crescimento do país. Ou seja, caso aplicada e regulamentada corretamente, a lei vai afetar a sociedade brasileira como um todo, mas de forma positiva.

4. Migrantes vão sobrecarregar os programas sociais e roubar empregos?

O trabalhador migrante contribui significativamente para o desenvolvimento econômico, além de pagar impostos diretos e indiretos através do consumo, como qualquer brasileiro. Ou seja, o migrante também financia serviços públicos como saúde e educação – dois direitos humanos, aliás, previstos na Constituição de 1988 e garantidos a qualquer pessoa, independentemente da nacionalidade.

Quanto à Previdência, não é demais lembrar que os migrantes, assim como os brasileiros, só têm direitos de aposentadoria e outros benefícios previdenciários após os períodos de contribuição previstos em lei.

Basta olhar para a história do Brasil para perceber o quanto os migrantes aportaram à nossa economia – e essa continua sendo a regra nos dias de hoje. O importante é garantir que eles sejam incorporados ao mercado formal em condições dignas. É justamente o que a nova lei faz, ao desburocratizar o processo de regularização migratória para obtenção de documentos e garantir acesso ao trabalho.

5. Por que o Brasil está indo na contramão do mundo, que tem restringido o acesso de migrantes e refugiados?

De fato a nova legislação vai na contramão do que tem sido feito por outros países, especialmente Estados Unidos e Europa. Mas essa é, na verdade, uma das virtudes da Lei de Migração, por ser uma resposta humanitária e humana a um mundo que caminha para criminalizar o outro, criminalizar um fenômeno social que molda sociedades no planeta desde os primórdios das civilizações. Além disso, a nova lei está em acordo com compromissos humanitários firmados pelo Brasil no meio internacional.

6. A nova lei dá mais direitos aos migrantes do que aos brasileiros?

Negativo. A nova lei apenas segue o que pede a Constituição de 1988, que prevê igualdade no acesso aos serviços públicos a todos os residentes no Brasil, sejam brasileiros ou migrantes.

7. Imigrantes vão virar eleitores com a sanção da Lei de Migração?

A Lei de Migração prevê o direito do migrante de poder se manifestar politicamente, mas não prevê e não tem condições de prever o direito ao voto para os migrantes internacionais. Essa mudança precisa de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional), já que a Constituição Federal não prevê direito a voto para migrantes residentes no Brasil. Vale lembrar, no entanto, que o Brasil é o único país da América do Sul a não permitir participação eleitoral dos migrantes, seja em nível municipal, regional ou nacional. Todas as demais nações sul-americanas permitem a participação de migrantes no sistema eleitoral em pelo menos um desses níveis.

8. Brasileiros terão de se adaptar aos migrantes e suas culturas?

Negativo. O que a lei prevê é o respeito mútuo às manifestações culturais de cada nacionalidade, não a supremacia de uma sobre a outra. É importante frisar que o Brasil tem sua cultura forjada com influências de migrantes ao longo da história.

Aqui também cabe uma curiosidade: uma das primeiras necessidades de um migrante ao chegar ao Brasil (assim como em qualquer lugar) é o domínio do idioma local – no caso do Brasil, o português. Por isso, uma das principais formas de assistência a essa população é justamente o ensino do idioma para os recém-chegados. Há tanto instituições da sociedade civil como do poder público que oferecem esse tipo de serviço aos migrantes.

9. A nova lei vai gerar uma “invasão” de imigrantes?

De acordo a Polícia Federal, em 2015 o Brasil abrigava cerca de 1,8 milhão de migrantes – menos de 1% de nossa população total. Por outro lado, o Ministério das Relações Exteriores estima que 3 milhões de brasileiros residam no exterior. Ou seja, há mais brasileiros migrantes do que pessoas de outros países em nosso território. Por isso, o termo “invasão” é, no mínimo, equivocado.

No caso específico dos refugiados, o Brasil tem menos de 10 mil reconhecidos pelo governo e cerca de 25 mil solicitações de refúgio aguardando avaliação, de acordo com o Conare (Comitê Nacional para Refugiados), ligado ao Ministério da Justiça. Isso dá uma média de 0,04 refugiados reconhecidos por mil habitantes no Brasil – a Argentina, por exemplo, acolhe um número duas vezes maior.

10. A nova Lei de Migração tira poder da Polícia Federal e deixa o país mais vulnerável a criminosos e terroristas?

Embora muitos governos relacionem o aumento da criminalidade com o incremento da migração, não há evidências desse tipo de relação. Dados do Ministério da Justiça de dezembro de 2014 demostram que o número de prisões de pessoas de outras nacionalidades vem caindo nos últimos anos e continua sendo desprezível se comparado com o total de migrantes regulares no país (uma proporção de 0,2%, segundo dados de 2015 da Polícia Federal). Políticas migratórias e de segurança pública têm suas especificidades e devem ser tratadas separadamente.

Uma questão importante é que ocorrências que envolvem pessoas de outras nacionalidades ganham mais destaque no noticiário do que as praticadas por nativos, dando a impressão que a presença migrante em maior número leva ao aumento da criminalidade. E para os migrantes que infringirem a lei, deve ser aplicada a legislação penal vigente, a exemplo do que acontece com os brasileiros.

A Polícia Federal continua a ser a principal fiscalizadora das fronteiras e da atividade migratória brasileira – a organização, inclusive, fez contribuições para o texto da nova lei.

11. O que é a anistia para migrantes indocumentados?

A nova Lei de Migração prevê uma anistia para migrantes sem documentos que entraram no país até 6 de julho de 2016, conforme consta no artigo 118. Seu objetivo é bem claro: ajudar a regularizar os migrantes que já contribuem com o Brasil e possuem uma vida estabelecida por aqui, mas ainda se encontram em situação indocumentada – causada, em grande parte, pelos empecilhos presentes no Estatuto do Estrangeiro. É uma forma de tentar “começar do zero” e ajudar a promover a inclusão documental dessa população, deixando-a menos sujeita a abusos e vulnerabilidades.

12. O que diz de fato a Lei de Migração sobre os indígenas?

O Brasil possui uma dívida histórica com os povos indígenas e populações tradicionais. E a nova Lei de Migração garante a estes o direito à livre circulação em terras tradicionalmente ocupadas, independentemente das fronteiras criadas depois. Críticos argumentam que esse ponto compromete as fronteiras nacionais expostas a criminosos e terroristas. No entanto, a nova lei segue o que é pedido na Constituição de 1988. 

Fonte: Migra Mundo

sábado, 13 de maio de 2017

FELIZ DIA DAS MÃES!

"Seus braços sempre se abriam quando eu queria um abraço. Seu coração compreendia quando eu necessitava uma amiga. Seus olhos ternos se endureciam quando eu precisava de uma lição. Sua força e seu amor me guiaram e me deram asas para voar, bendita sejas mãe querida que me ensinou o verdadeiro significado da vida."

quinta-feira, 11 de maio de 2017

LULA: “Estou vivo e pronto para ser candidato”

Em manifestação na cidade de Curitiba (PR), ex-presidente critica Lava Jato e pede julgamento justo.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se colocou como pré-candidato à Presidência da República em ato público realizado em Curitiba (PR), na noite desta quarta-feira (10), em meio à Jornada pela Democracia, que reuniu 50 mil pessoas, segundo organizadores. A declaração foi dada durante uma manifestação popular em seu apoio, após seu interrogatório na Justiça Federal, que durou mais de cinco horas - o segundo mais longo na operação Lava Jato. O petista aproveitou para criticar a atuação do juiz de primeira instância Sergio Moro e reivindicou um julgamento justo.
"Estou vivo e estou pronto para ser candidato a presidente deste país. Nunca tive tanta vontade de mudar as coisas. Se a elite não consegue consertar o Brasil, o metalúrgico vai provar que pode",  afirmou no palco montado na Praça Santos Andrade, na região central da capital paranaense. 
O ex-presidente afirmou ainda que parte de sua vontade política vem justamente do processo de "perseguição" que vem sofrendo: "Não quero ser julgado por interpretações. Quero ser julgado por provas. Achei que hoje eles apresentariam documentos de que eu sou proprietário do apartamento. Não tinham nada".
No ato público, Lula foi precedido por uma breve fala da presidenta Dilma Rousseff (PT), que condenou as políticas do atual governo. "Nem na ditadura militar ousaram retirar tantos direitos dos trabalhadores. Estão produzindo um retrocesso na Previdência que vai nos condenar. Eles deram o golpe porque perderam quatro eleições seguidas e sabiam que essa agenda jamais ganharia nas urnas". 
Justiça
Réu na Lava Jato, Lula se emocionou com a presença dos militantes na praça curitibana: "Jamais pude imaginar que um ônibus sairia do Acre para vir aqui me apoiar. Já participei de várias manifestações, nenhuma foi tão gratificante quanto saber que confiam em alguém que está sendo massacrado". 
"Eu disse a eles: a minha relação com vocês não é de candidato com eleitor, é de companheiros de luta. Se um dia eu tiver cometido um erro, não quero ser julgado apenas pela Justiça, quero ser julgado pelo povo. Eu não seria digno desse carinho, se eu tivesse alguma culpa e estivesse falando com vocês agora", afirmou Lula. "Se um dia eu tiver que mentir para vocês, eu prefiro que um ônibus me atropele".
Ao final da manifestação dos apoiadores, Lula chamou Ana Julia, liderança secundarista no Paraná, ao palco, afirmando que está anunciou sua filiação ao PT em solidariedade a ele. A jovem encerrou os discursos com um agradecimento: "É um honra estar com o homem que mais abriu portas para os estudantes".
Os eventos pela democracia e em apoio a Lula que ocorreram em Curitiba nesta terça (9) e quarta-feira (10) foram convocados pela Frente Brasil Popular, em conjunto com a Frente Resistência Democrática e a organização Advogados pela Democracia.
Fonte: Brasil de Fato

Economizar na conta de energia elétrica pode ser mais fácil do que se imagina! CONFIRA DICAS!

Sem perceber, às vezes você adota alguns hábitos que acabam aumentando o consumo na sua casa e, como consequência, o valor da fatura a ser paga no fim do mês. A Cosern identificou essas pequenas “manias” que impactam no consumo mensal (e no bolso do consumidor) e elaborou as dicas de economia abaixo.
1 – Manter chuveiro elétrico sempre na posição verão
No chuveiro elétrico podemos controlar a temperatura da água do banho. Na posição inverno, a água é aquecida e o equipamento consome 30% mais energia. Em dias mais quentes as pessoas, geralmente, se esquecem de mudar para a opção verão, que consume menos energia. Essa simples medida evita desperdício e torna o banho mais refrescante em dias de calor.
2 – Não secar roupas ou toalhas atrás da geladeira
Um hábito que certamente você viu sua mãe ou avó fazerem e aumenta o consumo de energia é usar a parte traseira da geladeira como secadora. Secar roupas, panos e outros tecidos atrás do refrigerador sobrecarrega o aparelho e, por isso, eleva o consumo de energia. Essa área do eletrodoméstico tem que ficar sempre livre para a circulação de ar.
3 – Instalar ar condicionado no lugar correto
Você sabia que a área de instalação do aparelho influencia diretamente no consumo de energia? O ideal é colocá-lo na parte mais alta da parede para melhorar a distribuição do ar frio. Além disso, é importante evitar a incidência direta do sol, para que o aparelho realize melhor as trocas térmicas. Ou seja: escolha um local alto e onde o sol bata menos horas durante o dia.
4 – Não deixar equipamentos elétricos plugados na tomada
Não é novidade que deixar equipamentos elétricos ligados sem uso gasta energia, mas quem se lembra de tirá-los da tomada sempre? O carregador de celular plugado na tomada sem necessidade é o exemplo mais frequente. Uma dica para aparelhos relacionados, por exemplo, TV, DVD, modem de TV a cabo ou satélite, é ligá-los todos a uma só régua de tomadas. Dessa forma, basta desligar a régua ao sair de casa e religá-la ao voltar para fazer uma economia considerável. Só use “benjamins” (o popular “T”) em casos extraordinários.
5 – Não passar roupas aos poucos
Você sabia que o que gasta mais energia é o aquecimento constante do ferro? Por isso, o ideal é acumular todas as roupas e passá-las de uma só vez (assim, o eletrodoméstico só será aquecido uma vez, e não várias no mesmo dia ou semana). Outra dica: comece o trabalho pelas peças mais leves, que são mais sensíveis à temperatura, e deixe as mais grossas, como jeans, para o final.
No site da Cosern (www.cosern.com.br) é possível baixar, em PDF, um Manual de Consumo Consciente. Clique na aba “Eficiência Energética” e depois em “Manual de Consumo Consciente”. Na aba “Agência Virtual” é possível baixar em PDF uma cartilha dirigida às crianças, em quadrinhos, com dicas de como economizar energia.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Troque o seu pedido de desculpas por mudança no comportamento


O melhor pedido de desculpas é a mudança de atitudes. Ao falarmos em mudanças, a primeira definição que nos vem à mente é a material. Baseadas na competitividade social, muitas pessoas acreditam que a mudança do físico é mais importante do que a do comportamento e, por essa razão, vivem escravas do que podem consumir e aparentar. Mudam de emprego ou carro para, além do conforto, usarem isso como cartões de visitas. Mudam de casa, mas não abandonam o parceiro violento. Mudam de cidade, mas levam o mesmo comportamento desonesto para a outra, mudam de médico, mas continuam com a mesma patologia.
Entenda: enquanto a mudança for apenas uma palavra solta, ela nunca proporcionará a efetiva transformação que esperam dela. Mudanças acontecem de dentro para fora e não o contrário.
Fernando Pessoa afirmava que a mudança era uma forma de respeito próprio: “Assim como lavamos o corpo deveríamos lavar o destino, mudar de vida como mudamos de roupa — não para salvar a vida, como comemos e dormimos, mas por aquele respeito alheio por nós mesmos, a que propriamente chamamos asseio”.Exercícios físicos sem dieta, não emagrecem. Querer economizar, sem parar de gastar não é possível e aprovação em concurso público sem estudo é ilusão. Então, o que nos leva a acreditar que apenas a força de vontade é necessária para alcançarmos nossos sonhos? O mundo precisa de gente com postura, de palavras o dicionário está cheio.
Queremos amigos fiéis, mas não perdemos a oportunidade de falar mal dos que temos. Queremos um relacionamento leve, mas somos ciumentos e possessivos. Queremos gentilezas, mas quando um mendigo pede ajuda, julgamos que o dinheiro será usado para comprar bebida. Pense bem: quem deve mudar: nós ou o mundo?
Aprenda, de uma vez por todas, que querer não é poder. Se assim fosse, estaríamos sarados, ricos e realizados sentimentalmente. O poder está no agir, no planejamento de metas, na ação diante dos seus sonhos e, isso inclui vida sentimental, sim.
Vida sentimental não é algo fácil. A convivência com alguém diferente reflete em divergências e discussões. Normal e compreensível. O problema é que, durante o relacionamento, em vez dos envolvidos respeitarem as diferenças, querem ditar regras de como o outro deveria ser.
É preciso entender que não devemos moldar o amor pela forma das nossas carências. Isso seria limitá-lo a algo muito mesquinho. Para sermos completamente felizes e não carregarmos culpas desnecessárias, precisamos entender que somos mutáveis e passíveis de erros e que, cada um, vive como acha certo.
Há pessoas que ofendem e até traem o parceiro, por não conhecerem a grandiosidade do sentimento dentro deles. Desconhecem o que sentem pelo outro, menosprezam o carinho dado e acreditam que sozinhos viveriam melhor. Mas, quando isso acontece a dor do arrependimento é tão grande que fazem de tudo para terem uma nova oportunidade. E, muitas vezes, merecem mesmo.
Há pessoas que fazem da segunda chance, a primeira, que precisam cair para se levantar melhor. E, a elas, uma única oportunidade dada é suficiente para escreverem uma história diferente. Da mesma forma que há pessoas maldosas que só pedem perdão para não ficarem sozinhas. Escravizam psicologicamente o outro, a ponto de acreditarem que não serão felizes com mais ninguém. Que fique claro: há pessoas que erram e mudam. Há pessoas que nunca mudarão. Por favor, não confunda!
A verdadeira desculpa é a mudança de comportamento. Não é em um jantar romântico ou durante uma viagem ao Caribe que as mudanças acontecem. Elas se efetivam no respeito diário, na fidelidade constante e nas escolhas que envolvem a vida a dois. Pouco importa “desculpa” se ela não vier acompanhada de um arrependimento genuíno. Pouco importa ser tratada bem na frente dos outros, se quando estão a sós ele te ignora. Pouco importa se ela se diz fiel, mas elogia outros caras na sua frente.
Aprenda que mudanças acontecem de dentro para fora. Começamos a nos transformar quando não aceitamos migalhas, mentiras e ofensas. Mudamos quando trocamos as experiências ruins por esperanças de um futuro diferente. Então, mude! Transforme sua vida em algo maior. Seja mais generoso, mais gentil, mais humano. Se o outro não valorizar essa mudança e continuar com as mesmas atitudes abusivas, mude você de parceiro.
Por Portal Raízes